27 de novembro de 2007

Um Bate-papo Informal

Armindo Guimarães
Portugal

Meu Amigo Armindo, você sem dúvida nenhuma é um dos maiores fãs do Rei em Portugal. Quando foi que o “robertocarlismo” tomou conta desse homem com alma de menino?



Uma pergunta que por si só já é uma resposta. De facto, para além da minha mãe, quem tomou conta do menino Mindo foi Roberto Carlos.


Em várias conversas nossas você usa o termo “robertocarlistico”. Foi você que o criou?


Essa do “robertocarlistico” não é invenção minha. Aliás, eu não invento nada. Apenas me limito a pegar nas coisas e a dar-lhes continuidade, vida, ou outra roupagem. O termo “robertocarlistico” foi criado por Marlos Chambela que nestas coisas do “robertocarlismo” eu considero o meu Amigão (com A maiúsculo), tratamento que há muito combinamos só usarmos entre nós. A partir desse termo criado pelo Marlos eu apenas me limitei a dar-lhe continuidade e a introduzir outros que lhe estão subjacentes, tais como “robertólogo”, “robertodependente”, “robertomaniaco”.


Você tem inspiração para tudo mesmo. Um grande sucesso seu são os bate-papos virtuais com o Rei Roberto Carlos, que já têm quase vinte edições. Conta pra gente como nasceu isso e como é o processo de criação desse bate-papo.


Não é difícil ter-se inspiração para tudo quando desde menino se abraça uma causa. Qualquer fã sonha ter um bate-papo com o nosso mais que tudo e eu não sou excepção. E como perante dificuldades eu sou como Maomé que quando não pode ir à montanha, vai a montanha ter com ele, um passe mágico foi o suficiente para que a partir de 5 de Março de 2005 tivesse o privilégio de receber periodicamente telefonemas do meu Amigo Berto. Fico contente, e Roberto Carlos ainda mais ficará, pelo facto de a pergunta partir do pressuposto que os nossos bate-papos são virtuais, pois, pese embora o aviso de que tudo não passa de ficção, o que é certo é que muitos são aqueles que pensam o contrário ao enviarem-me mensagens como estas:

“Amigo Armindo, não conheço muito sobre o senhor mas lhe acho um cara superbacana e bem-humorado! Gostaria de saber se o senhor apenas levanta aqueles bate-papo telefónicos ou realmente fala com o Rei. Um abraço. JAMESRC – Teresina – PI.”.

“Se pudesse me ver agora, veria uma pessoa pasma de queixo caído. Meu Senhor, meu Deusinho. Então é verdade que tem esta amizade com o nosso Rei? Não que eu tenha duvidado, mas como sou um pouco nova de Portal, não achei que eram frequentes estes bate-papo. Então o que imagino desse homem maravilhoso que é o RC é verdade. Ele é uma pessoa simples com os fãs. Nossa! Que alegria. Este é o meu Rei. Abraços. ZEZÉ – Araraquara – SP”.

Ou aquelas que me são dirigidas na certeza de eu próprio ser o Roberto Carlos:

“Roberto, eu sempre fui sua fã desde os 5 anos. Minha vida é sempre baseada em você e em suas músicas. Me casei e quando tive meu nené lhe dei seu nome. Agora, ele tem 15 anos e também é seu fã. Sei que você tem uma costela lusa, mas daí a ter selecionado de entre milhares de fãs um portuga que nem sequer vive no Brasil mas do outro lado do Atlântico, não dá pra entender, né? Meu ciúme tá atingindo o limite! Um abração triste. Sua Gena – Santo André - Brasil. Ah! Se você finalmente reconsiderar e deixar de dar exclusivo telefónico pro tal portuga, eu vou ficar muito contente. Tome nota de meu celular, viu? 2006549725. Amo você! Gena”.

“Oi, Roberto Carlos! Me chamo Faustino e sou de Parnamirim. Tenho 38 anos e sou seu fã incondicional mesmo antes de nascer, pois meus papais me fizeram ouvindo você a 120, 150, 200 km por hora nas Curvas da Estrada de Santos e o acidente fui eu. Coleciono tudo de você. Livros, revistas, recortes de jornais, discos de vinil, cassetas, CDs, filmes, vídeos, etc. Mas de tudo, guardo no peito um medalhão igual ao seu que mamãe me ofereceu quando eu consegui estar um dia e uma noite em casa sem cantar uma de você. Isso já foi há 1 mês e estou até me mentalizando para achar outro dia e noite sem cantar você em minha casa pra meus papais me darem a pulseira igual à sua que falta em meu pulso. Tem outra coisa: eu tô muito triste com você batendo papo telefónico com um tal portuga, se esquecendo de nós brasileiros! Nem dá pra acreditar e choro! Me telefone já, viu? Meu telefone de casa é 23545765489 e de meu celular é 9812527654. Um forte abraço pra você! Faustino – Parnamirim - RN”.

Ou, pior ainda, mensagens cujo teor dá como certa uma dupla personalidade:

“Oi, Roberto! Tudo bem consigo? Eu sabia que você quando criança pensava em ser médico ou então algo ligado a desenho. Agora, o que não sabia é que você se registrasse no Portal Clube do Rei numa de portuga, disfarçando sua identidade, tal como Super-homem se disfarça de Clark Kent. Hoje estive fazendo uma retrospetiva em seus escritos no Portal e me não perdoo a mim mesma por não ter suspeitado logo que você vive se escondendo sob a capa de Armindo Guimarães (Templário-prt)! Mas não se preocupe, não, Roberto. Esse seu segredo eu guardarei pra sempre comigo como se eu fosse sua Lane, valeu? Te amo demais, meu Templário, meu portuga, meu brasuca, meu Roberto! Você é uma brasa, mora! Um beijão pra si, viu! Ah! Posso lhe pedir uma coisa? Me manda uma mensagem, tá legal? Pode até mandar pro correio interno do Portal, pois tou lá todo dia e toda noite esperando você”.

“Tudo legal com você Roberto? Acabei agora mesmo de me registrar como membro do Portal Clube do Rei porque ouvi dizer que você também estava registrado e que até participa no fórum e em artigos de primeira página. Eu não queria acreditar, mas me registrando fui logo dar uma olhada em muitos dos seus escritos e sabe o que lhe digo, Roberto? Não precisa mais disfarçar, não! Nem imagina como meu coração bate forte só de pensar que eu me registrando no Portal há mais tempo, logo teria descoberto que você era você, ou melhor que o Templári-prt era você. Nem sei como a galera do Portal não viu logo isso! Jamais um portuga teria o engenho e a arte que você demonstra ter. Só mesmo você, Roberto! Por isso o admiro ainda mais. Você é incrível! Seu segredo fica comigo. Quando você vem a Porto Alegre? A turma está aflita pra vê-lo outra vez! Um abração. Logo mais me responda, tá?”.

É por essas e por outras que eu até já pus a hipótese de terminar com a publicação dos “Bate-papo entre Roberto e eu”, não fosse o Roberto ter-se insurgido contra tal ideia (risos).


Descontraído ele responde ao blog "El rey"

Que mais de invenção sobre o Rei você já fez?


Como já disse atrás, não invento nem nunca inventei nada sobre o nosso mais que tudo. As coisas simplesmente acontecem. Citando Fernando Pessoa, eu diria que comigo e com o Roberto, “Deus quer, o homem sonha, a obra nasce”.


Em 2006 você pôde ver um show do Rei aí na cidade de Guimarães. Como foi sua “primeira vez” com o Rei?


Essa emoção (e que emoção!), ainda está bem fresca na minha memória. Uma experiência que decidi partilhar com todo mundo robertocarliano, através de reportagem publicada no Portal Clube do Rei, em 13-03-2006, sob o título “O depois de Lisboa”. Neste momento até parece que estou a ouvir aquele fã que, num instante de silêncio, não resistiu e gritou das bancadas: “Ó Roberto, és o maior, pá!!!”. Outro momento de emoção que jamais esquecerei foi ver a minha filha e a minha esposa, a gritarem Roberto! Roberto! Roberto! Cantaram com ele “As baleias” com tanta ou mais emoção do que eu e isso impressionou-me demais.


Em Portugal existem milhares de fãs do Rei da Música Popular Brasileira. Já entrevistei nossa Amiga Paula Serrano, de Lisboa. A expressão cultural que o Roberto causou na Europa nos anos 60, 70 e 80, ainda é sentida aí em grandes proporções?


É evidente que sim. Roberto Carlos é, seguramente, o brasileiro mais respeitado e querido dos portugueses. Não é por acaso que eu digo que ele é por excelência o mais importante embaixador do Brasil, não só em Portugal mas em qualquer parte do mundo. E, no que a Portugal se refere, é preciso não esquecer as suas raízes lusitanas, pois tanto o avô paterno como o bisavô materno eram portugueses. Por isso, não é de estranhar ter homenageado Portugal através de “Coimbra” e de “Nem às paredes confesso”, para além de ser o único país em que nos seus shows presenteia os fãs com bis e mais bis, facto que muito lisonjeia a malta portuga e que muita confusão faz na galera brasuca (risos).



O Armindo tem a música preferida do Rei?



O meu Amigo Felipe Moura sabe tão bem ou melhor do que eu, que isso não é pergunta que se faça a um admirador incondicional da obra daquele que cantando espalha por toda a parte o seu engenho e arte. Que, de tanto amor, conseguiu que as estrelas mudassem de lugar e que até o próprio astro-rei esperasse pra nascer. Que lamentou um amor perdido como um cigarro esquecido na borda de algum cinzeiro. Que quando provou um beijo se perdeu no sabor, na pureza dessas fontes e na beleza desse amor. Que um dia soube que às vezes as mentiras também ajudam a viver. Que viu sua esperança na voz de um menino que sorrindo o acompanhava. Que quer levar o seu canto amigo a qualquer amigo que precisar. Que se chora ou se sorri, o importante é que vive emoções. Enfim, daquele que é como o amor: quanto mais, melhor. Por isso, se tivesse que escolher uma música do nosso mais que tudo, a minha opção iria para aquela que eu considero uma ode ao amor: “Cavalgada”.


Armindo, Por que ser fã do Roberto Carlos?


Ser fã do nosso mais que tudo, é tudo. E quem tem tudo não precisa de ter mais nada. O que faz a diferença em Roberto Carlos é a sua multifacetada obra poética, musical e temática, pois tanto canta o amor, como o desamor, a alegria e a tristeza, a ecologia e a fé. Além disso, não se deixou nunca dormir à sombra dos seus êxitos, mas antes seguindo a evolução do mundo da música e não só, sabendo sempre acompanhar-se de uma equipa a todos os títulos invejável que o apoia com grande profissionalismo e dedicação. Agora, peço desculpa mas vou ter que dar por terminada esta entrevista. O meu telemóvel está a vibrar e eu também. É uma chamada anónima e, na certa, é ele. Nem estou em mim, carago!!!














O fã Armindo com seu troféu autografado pelo Rei


As publicações do Armindo são:

- A minha vida com o Rei

- Quem sabe menos das coisas

- Coisa bonita

- Sentado à beira do caminho

- Fã do Rei até sabe o que não sabe

- Subsídios para uma radiografia do Rei

- O depois de Lisboa

- Quem é quem no Portal Clube do Rei

- Quem é quem no Portal Clube do Rei (Parte II)
- Folhas de Outono (como: João Gonçalves)
-
Cavalgada (leia este clicando aqui)

8 comentários:

  1. Muito bacana esse papo com nosso amigo Armindo Guimarães. Mais um fã incondicional do Rei Roberto Carlos.

    ResponderExcluir
  2. Grande entrevista com nosso amigo Armindo!
    Bicho, vc é espetacular! Sabe nos alegrar com tudo o que diz e faz(aliás, é só olhar pra sua cara pra cair em risos... rsrsrsrsrsrsr). Adorei cada parte da entrevista, e cada vez mais admiro você, amigo!

    ResponderExcluir
  3. Felipe, parabéns pela entrevista!
    parabens Armindo, quero que saiba que sou admirador de suas publicações, e que depois desta entrevista, depois de ler as mensagens que você recebe dos fãs do Rei, fiquei na dúvida, será que Armindo seria Roberto Carlos!? será? Oh dúvida cruel...
    Agraço aos irmãos Portugas!!

    ResponderExcluir
  4. Lipe, gostei muito de seu bate-papo informal com Armindo Guimarães, esse grande fã lusitano de Roberto Carlos e um grande colaborador com seus maravilhosos textos para o Portal Clube do Rei.

    Parabéns Lipe, pela elaboração dessa entrvista bem descontraída, mas que mostra a versatilidade deste súdito do Rei.Gostei, achei bárbaro a sua criatividade em colocar as publicações do Armindo, pois estas faz-nos perceber a veia poética deste fã incondicional do Rei. Ele navega no Universo das letras das canções que Roberto compõe,filosofando e enfocando várias facetas dos trechos musicais Robertocalísticos. O texto Cavalgada que envolve a canção do mesmo nome, é fantástico. Concordo quando Armindo diz:"Roberto é como o amor, quanto mais, melhor."

    Abraço carinhoso da amiga.

    Mazé Silva-Fortaleza_Ceará.

    Em 29 de novembro de 2007.

    ResponderExcluir
  5. Bom, sempre aguardei essa entrevista, porque sou fã do Armindo e ele sabe disso! Essa admiração minha vai além do Oceano Atlântico e vai, como diria o Dorival Caymme, onde a vista não mais alcança! Obrigado Lipe, obrigado Armindo!

    ResponderExcluir
  6. João Gonçalves-Floripa07 dezembro, 2007 11:20

    Lipe, achei maravilhosa a entrevista com o amigo Armindo Carlos, o lusitano da palavra fácil, nas respostas, estão as características do entrevistado, simpatia e descontração, além da forma originalíssima de se expressar. valeu......

    ResponderExcluir
  7. Sem dúvida, fora do Brasil o Armindo é o maior fã do Roberto de que tenho conhecimento, e olhe que que aqui são poucos os que o superam.
    Grande entrevista.
    Um abraço para o Lipe e outro para o Armindo.

    Sandro Rogério
    Paulo Afonso - Bahia

    ResponderExcluir
  8. Que bacana o Armindo é um grande ser que nos presenteia sempre no portal.."Mais Que Tudo", mesmo, vc e RC!

    ResponderExcluir

Essa seção é a sua ligação com a Administração do Blog Rey Roberto Carlos. Deixe sua opinião sobre o site, a matéria e mande seu recado.

Blog Rey Roberto Carlos

Busca